quarta-feira, 5 de abril de 2017

ABERTO PERÍODO DE VOTAÇÃO PARA ESCOLHA DE NOVA CONFREIRA



Prezados Confrades, Prezadas Confreiras,



No período de 05 de abril a 5 de maio de 2017 estaremos recebendo os votos para eleição da vacância da cadeira nº 29, anteriormente ocupada por Dom Caetano. Temos apenas uma candidata ao cargo. Trata-se da professora e gestora cultural Anarleide Cruz Menezes.

Os votos estarão a disposição de todos na recepção da Academia de Letras, em sua sede, à Rua Antonio Lavigne de Lemos. Aqueles que não residem em Ilhéus poderão fazê-lo manifestando seu voto a favor ou não, via e-mail. 

E-mail da Academia: academiadeletrasdeilheus@gmail.com 


Maiores informações pelo telefone: 73. 3231.1612 ou pelo celular: 73.9.9998.2555

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

ELEIÇÕES - PERÍODO DE VOTAÇÃO




Senhores e senhoras membros da Academia de Letras de Ilhéus,

O presidente Josevandro Nascimento, no uso de suas atribuições, comunica aos membros efetivos desta Academia que estará aberta no período de 14 a 19 de dezembro a votação da chapa candidata ao biênio 2017-2018, com a seguinte composição:

Presidente: André Rosa
Vice Presidente: Arléo Barbosa
Secretário-Geral: Pawlo Cidade
1ª. Secretária: Maria Schaun
2º Secretário: Josevandro Nascimento
1º Tesoureiro: Gerson dos Anjos
2º Tesoureiro: Gustavo Cunha
Diretor de Biblioteca: Geraldo Lavigne
Diretora de Revista: Maria Luiza Nora

Os membros residentes no Município de Ilhéus deverão retirar e, concomitantemente, depositar seu voto na sede da Academia de Letras de Ilhéus, em horário comercial. Para os não residentes o voto poderá ser enviado para o e-mail: academiadeletrasdeilheus@gmail.com  colocando no campo assunto: “Eleição 2016”. E no corpo do e-mail a palavra “SIM” ou “NÃO”.

Atenciosamente,


Comissão de Eleição

domingo, 11 de dezembro de 2016

MESTRE ALEILTON AGORA É MEMBRO DA CADEIRA 24 DA ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS

O escritor ao lado da esposa Rosana Ribeiro Patricio

O escritor Aleilton Fonseca, membro titular da Academia de Letras da Bahia e da Academia de Letras de Itabuna tomou posse no último dia 9 de dezembro de 2016, como mais novo membro da Academia de Letras de Ilhéus, ocupando a cadeira 24, que pertenceu ao saudoso escritor Hélio Pólvora. Aleilton Santana da Fonseca nasceu em Itamirim, hoje Firmino Alves, Bahia, em 21.7.1959. Seu pai, Epaminondas, um pequeno agricultor; sua mãe, Lourdes, uma professora primária. É casado há 32 anos com Rosana Ribeiro Patricio, e tem dois filhos: Diogo Ribeiro da Fonseca (31) e Raul Ribeiro da Fonseca (27). O acadêmico se declara ilheense por adoção pois residiu em Ilhéus desde os 4 anos de idade, onde a viveu a infância e adolescência. Em 1979 foi estudar em Salvador, onde fixou residência. A partir dos 17 anos, ainda em Ilhéus, passou a escrever e a publicar em jornais e revistas. Sua produção literária abrange romance, conto, poesia, crítica e ensaio. É graduado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (1982), com mestrado pela Universidade Federal da Paraíba (1992) e doutorado pela Universidade São Paulo (1997). 
       
Amigos Sandra Argôlo, o jornalista Antônio Lopes que saudou o novo membro, a artista plástica Jane Hilda e seu esposo Josenaldo


Foi professor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em Vitória da Conquista, de 1984 a 1998.  A partir de 1999, passou a lecionar na Universidade Estadual de Feira de Santana, na qual é professor Pleno (Titular) de Literatura Brasileira na graduação em Letras e no Curso de pós-graduação Mestrado em Estudos Literários, desenvolvendo pesquisas sobre as relações entre literatura, imagens urbanas e ecologia. Foi professor convidado, na Université d’Artois, na França, em 2003. 

Participa de eventos literários e científicos no Brasil e no exterior, como conferencista, pesquisador e escritor. Proferiu palestras em diversas universidades brasileiras e em instituições estrangeiras, como Sorbonne, Nanterre, Rennes, Tour, Toulouse e Nantes (França), na  Universidade de Budapeste (Hungria) e  Università del Salento (Lecce/Itália). Foi coeditor de Iararana - Revista de arte, crítica e literatura, editada em Salvador, de 1998 a 2007. Faz parte da Comissão Editorial da Revista da Academia de Letras da Bahia e de outras revistas literárias e acadêmicas. Foi correspondente da revista francesa Latitudes: cahiers lusophones. Recebeu um dos Prêmios Culturais Fundação Cultural da Bahia – 3º lugar (1996), o Prêmio Luis Cotrim (ALJ, 1997), o Prêmio Herberto Sales (ALB, 2001) e o Prêmio Marcos Almir Madeira (UBE-RJ, 2005). Em 2013 recebeu o título de Professor de Honra de Humanidades, pela Universidad del Norte, em Assunção, Paraguai. Em 2014, recebeu o Troféu Carlos Drummond de Andrade (Itabira-MG), a Medalha Luis Vaz de Camões (Núcleo Académico de Letras e Artes de Lisboa) e a Comenda do Mérito Cultural, da Secretaria da Cultura, do Governo do Estado da Bahia. Também recebeu a Medalha Pedro Calmon (ABI-Bahia, 2002), a Medalha Euclides da Cunha (Academia Brasileira de Letras, 2009) e a Medalha Arlindo Fragoso (Academia de Letras da Bahia, 2010). Publicou poemas, contos e artigos em diversas revistas, como as francesas Latitudes: cahiers lusophones (Paris),  Autre Sud (Marselhe),  Crisol (Nanterre) e Plural/Pluriel  (Nanterre) e L'Ampoule  (Bordeaux). 

 A mesa contou com a participação de várias autoridades presentes, entre elas a reitora Adélio Melo da Universidade Estadual de Santa Cruz, a primeira à direita e da esposa do saudoso Hélio Pólvora, dona Maria Pólvora.


Aleilton Fonseca tem diversos livros e artigos publicados no Brasil, e em outros países como Portugal, França, Bélgica, Quebec/Canadá, Estados Unidos e Itália. Em 2009, ao completar 50 anos, foi homenageado pelo Lycée des Arènes (Toulouse, França), pelo Instituto de Letras da UFBA (Projeto o escritor e seus múltiplos) e pela ALB (mesa redonda).  Coordena o Curso Castro Alves/Colóquio de Literatura Baiana, da ALB (2005-2015). Tem cerca de 30 livros e diversos artigos publicados no Brasil, e alguns em outros países como França, Bélgica, Canadá, Estados Unidos, Itália, Portugal e Paraguai. Seu romance Nhô Guimarães foi adaptado para o teatro pela Companhia Baiana de Teatro, Grupo Criaturas Cênicas, em 2009. Em 2013 recebeu o título de Professor de Honra de Humanidades, pela Universidad del Norte, em Assunção, Paraguai. Em 2014, Recebeu o Troféu Carlos Drummond de Andrade (Itabira-MG), a Medalha Luis Vaz de Camões (Núcleo Académico de Letras e Artes de Lisboa) e a Comenda do Mérito Cultural, concedida pela Secretaria da Cultura, do Governo do Estado da Bahia. 
   
O autor também recebeu as medalhas Pedro Calmon (Associação Baiana de Imprensa, 2002), Euclides da Cunha (Academia Brasileira de Letras, 2009) e Arlindo Fragoso (Academia de Letras da Bahia, 2010).  É membro. também, da Academia de Letras da Bahia, da Academia de Letras de Itabuna, da União Brasileira de Escritores-SP e do PEN Clube do Brasil. Integra a Association Internationale de la Critique Littéraire, sediada na França, da qual foi vice-presidente para América do sul, em 2013-2014.  Seus livros mais recentes são: O desterro dos mortos, As marcas da cidade, Memorial dos corpos sutis, O pêndulo de Euclides (sobre a guerra de Canudos) e O Arlequim da Pauliceia (sobre a poesia de Mário de Andrade). Recentemente organizou duas antologias da poesia de Sosígenes Costa e co-organizou cinco livros de ensaios sobre a obra de Jorge Amado e outros autores.
     
O novo acadêmico passa a ocupar a cadeira nº 24 que tem como patrono o médico e educador João Florêncio Gomes (1846-1925), como fundador o jornalista Otavio Moura (1928-1978) ), e ocupante anterior o jornalista e escritor Hélio Pólvora (1928-2015). Em sua posse, realizada em 9 de dezembro de 2016, foi saudado pelo escritor e jornalista Antônio Lopes.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

QUINTA-FEIRA TEM LANÇAMENTO DE LIVRO NA ACADEMIA

CHARINHO LANÇA O LIVRO TÊNIS EM QUADRAS


Após as fortes chuvas da semana, que forçaram o adiamento do lançamento do livro “Tênis em “Quadras”, de Luis Rogério Ramos de Menezes, o Charinho, a data foi remarcada para esta quinta-feira, dia 24, na Academia de Letras de Ilhéus, com a presença de vários esportistas e amigos escritores da cidade. nesta quinta-feira, dia 24, na Academia de Letras de Ilhéus, com a presença de vários esportistas e amigos escritores da cidade. 
Sobre o livro, a poeta e jornalista Anna Karenina de Oliveira diz que “sem soma de dúvidas, a obra “Tênis nas Quadras” revela a poética de um narrador exortado a exortar outros para o elixir da vida e saúde”. Já o grande mestre Carlos Alberto Kyrmair, em texto inserido na contracapa da obra, afirma que Charinho conseguiu uma forma simples de colocar-nos em contato com sentimentos que, só quem joga, pratica e ama os desafios que o Tênis propõe sabe o que ele está escrevendo.
Nascido em Ilhéus, graduado em Educação Física pela Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) e em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal da Bahia (UFBA), Charinho é tenista ilheense de 1ª Classe e ministra aulas há 17 anos. Já jogou com personalidades como o ex-presidente francês, Nicolas Sarcozy, o tenista argentino tricampeão mundial de Rolland Garros, Guilhermo Vilas, e tem realizado um trabalho ímpar no ensino do Tênis no Sul da Bahia, com pesquisas, competições e promoção de eventos.
Professor credenciado como Treinador Nacional da Confederação Brasileira de Tênis (CBT), Luís Rogério Menezes atua no desenvolvimento de pessoas através da prática desportiva do tênis, esporte que engloba várias dimensões do humano, a contemplar o campo físico, social, emocional e a razão, integradas à saúde e vitalidade humanas.
Com esse currículo, e visando incentivar a prática esportiva do tênis, Charinho escreveu diversas quadras (poemas de quatro versos rimados entre si) que saem agora em um livro muito charmoso, com formato especial, pela Editora Mondrongo.

SERVIÇO
Lançamento do livro Tênis em Quadras.
Quando: 24 de novembro, 18:30 horas
Onde: Academia de Letras de Ilhéus
Entrada: Franca

Classificação: 14 anos.

terça-feira, 8 de novembro de 2016

ELEIÇÕES BIÊNIO 2017-2019

ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS
PATRIAE LITTERAS COLENDO SERVIAM
FUNDADA EM 14 DE MARÇO DE 1959
ILHÉUS – BAHIA




EDITAL DE ELEIÇÃO




O Presidente da Academia de Letras de Ilhéus, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias, convoca todos os seus membros em pleno gozo de seus direitos, que deste edital virem ou dele tomarem conhecimento, a se inscrever para renovação dos órgãos diretivos da entidade, a realizar-se no período de 30 (trinta) dias, a contar da data de publicação deste, devendo os interessados procurar a secretaria da Academia de Letras de Ilhéus, para maiores esclarecimentos e informações a respeito.
O requerimento para registro de chapas deverá ser feito em 02 (duas) vias assinado(a) pelo(a) candidato(a) que encabeçar, dirigido ao Presidente da ALI e protocolado na Sede da entidade, no endereço abaixo indicado. Para garantir efetiva publicidade o presente edital é publicado no Diário Oficial do Município de Ilhéus, considerando a base municipal da entidade e no jornal Diário de Ilhéus, bem como está disponível na recepção e no blog da instituição.



Ilhéus – Bahia, 08 de novembro de 2016




Josevandro Ferreira Nascimento
Presidente


Pawlo Cidade
Secretário Geral

Endereço da Sede:

Rua Antonio Lavigne de Lemos, 39, Centro, Ilhéus – Bahia.

ALEILTON FONSECA É O MAIS NOVO MEMBRO DA ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS

QUEM É ALEILTON FONSECA?

Aleilton Santana da Fonseca nasceu em Itamirim, hoje Firmino Alves, Bahia, em 21.7. 1959. Seu pai, Epaminondas, um pequeno agricultor; sua mãe, Lourdes,  uma professora primária. É casado há 32 anos com Rosana Ribeiro Patricio, e tem dois filhos: Diogo Ribeiro da Fonseca (31) e Raul Ribeiro da Fonseca (27). Aleilton Fonseca, desde os 4 anos de idade viveu a infância e adolescência em Ilhéus, com sua família. Em 1979 foi estudar em Salvador, onde fixou residência. 

Em Ilhéus cresceu, tomou consciência de si, estudou no Grupo Escolar Dom Eduardo, no Colégio Estadual do Malhado e na EMARC (Uruçuca-BA). Tornou-se ilheense por adoção, formação e afeto. Retorna sempre à cidade, para visitar familiares e amigos. A partir dos 17 anos, ainda em Ilhéus, passou a escrever e a publicar em jornais e revistas. Sua produção literária abrange romance, conto, poesia, crítica e ensaio. É graduado em Letras pela Universidade Federal da Bahia (1982), com mestrado pela Universidade Federal da Paraíba (1992) e doutorado pela Universidade São Paulo (1997). 

Foi professor da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, em Vitória da Conquista, de 1984 a 1998.  A partir de 1999, passou a lecionar na Universidade Estadual de Feira de Santana, na qual é professor Pleno (Titular) de Literatura Brasileira na graduação em Letras e no Curso de pós-graduação Mestrado em Estudos Literários, desenvolvendo pesquisas sobre as relações entre literatura, imagens urbanas e ecologia. Foi professor convidado, na Université d’Artois, na França, em 2003. 

Participa de eventos literários e científicos no Brasil e no exterior, como conferencista, pesquisador e escritor.   Proferiu palestras em diversas universidades brasileiras e em instituições estrangeiras, como Sorbonne, Nanterre, Rennes, Tour, Toulouse e Nantes (França), na  Universidade de Budapeste (Hungria) e  Università del Salento (Lecce/Itália). Foi coeditor de Iararana - Revista de arte, crítica eliteratura, editada em Salvador, de 1998 a 2007. Faz parte da Comissão Editorial da Revista da Academia de Letras da Bahia e de outras revistas literárias e acadêmicas. Foi correspondente da revista francesa Latitudes: cahiers lusophones. Recebeu um dos Prêmios Culturais Fundação Cultural da Bahia – 3º lugar (1996), o Prêmio Luis Cotrim (ALJ, 1997), o Prêmio Herberto Sales (ALB, 2001) e o Prêmio Marcos Almir Madeira (UBE-RJ, 2005). Em 2013 recebeu o título de Professor de Honra de Humanidades, pela Universidad del Norte, em  Assunção, Paraguai. Em 2014, recebeu o Troféu Carlos Drummond de Andrade (Itabira-MG), a Medalha Luis Vaz de Camões (Núcleo Académico de Letras e Artes de Lisboa) e a Comenda do Mérito Cultural, da Secretaria da Cultura, do Governo do Estado da Bahia. Também recebeu a Medalha Pedro Calmon (ABI -Bahia, 2002), a Medalha Euclides da Cunha (Academia Brasileira de Letras, 2009) e a Medalha Arlindo Fragoso (Academia de Letras da Bahia, 2010).   Publicou poemas, contos e artigos em diversas revistas, como as francesas Latitudes: cahiers lusophones (Paris),  Autre Sud (Marselhe),  Crisol (Nanterre) e Plural/Pluriel  (Nanterre) e L'Ampoule  (Bordeaux). 

Tem diversos livros e artigos publicados no Brasil, e em outros países como Portugal, França, Bélgica, Quebec/Canadá, Estados Unidos e Itália. Em 2009, ao completar 50 anos, foi homenageado pelo Lycée des Arènes (Toulouse, França), pelo Instituto de Letras da UFBA (Projeto o escritor e seus múltiplos) e pela ALB (mesa redonda).  Coordena o Curso Castro Alves/Colóquio de Literatura Baiana, da ALB (2005-2015). Tem cerca de 30 livros e diversos artigos publicados no Brasil, e alguns em outros países como França, Bélgica, Canadá, Estados Unidos, Itália, Portugal e Paraguai. Seu romance Nhô Guimarães foi adaptado para o teatro pela Companhia Baiana de Teatro, Grupo Criaturas Cênicas, em 2009. Em 2013 recebeu o título de Professor de Honra de Humanidades, pela Universidad del Norte, em  Assunção, Paraguai. Em 2014, Recebeu o Troféu Carlos Drummond de Andrade (Itabira-MG), a Medalha Luis Vaz de Camões (Núcleo Académico de Letras e Artes de Lisboa) e a Comenda do Mérito Cultural, concedida pela Secretaria da Cultura, do Governo do Estado da Bahia. 

Também recebeu as medalhas Pedro Calmon (Associação Baiana de Imprensa, 2002), Euclides da Cunha (Academia Brasileira de Letras, 2009) e Arlindo Fragoso (Academia de Letras da Bahia, 2010).  É membro da Academia de Letras da Bahia, da Academia de Letras de Itabuna, da União Brasileira de Escritores-SP e do PEN Clube do Brasil. Integra a Association Internationale de la Critique Littéraire, sediada na França, da qual foi vice-presidente para América do sul, em 2013-2014.  Seus livros mais recentes são: O desterro dos mortos, As maracs da cidade, Memorial dos corpos sutis, O pêndulo de Euclides (sobre a guerra de Canudos) e O Arlequim da Pauliceia  (sobre a poesia de Mário de Andrade). Recentemente organizou duas antologias da poesia de Sosígenes Costa e co-organizou cinco livros de ensaios sobre a obra de Jorge Amado e outros.

O novo acadêmico irá ocupar a cadeira nº 24 que pertenceu ao saudoso confrade Hélio Pólvora. Sua posse está prevista para 9 de dezembro de 2016.

terça-feira, 4 de outubro de 2016

ABERTA PERÍODO DE VOTAÇÃO PARA ESCOLHA DE NOVO CONFRADE

Modelo da cédula de votação

Prezados confrades, senhoras confreiras,

No período de 05 a 20 de outubro de 2016 estaremos recebendo os votos para eleição do candidato Aleilton Fonseca. O professor e poeta Aleilton Fonseca é candidato à vaga da cadeira nº 24, anteriormente ocupada pelo saudoso confrade Hélio Pólvora;

Os votos estarão à disposição de todos na recepção da Academia de Letras, em sua sede, à Rua Antonio Lavigne de Lemos. Aqueles que não residem em Ilhéus poderão fazê-lo manifestando seu voto a favor ou não, via e-mail. 

E-mail da Academia: academiadeletrasdeilheus@gmail.com 

Os votos serão depositados em urna específica que se encontra na sede. Caso o candidato não obtenha 50% + 1 dos votos válidos será aberta nova inscrição para a cadeira vaga. 

Maiores informações pelo telefone: 73. 3231.1612 ou pelo celular: 73.9.9998.2555


quarta-feira, 7 de setembro de 2016

COMENDA ABEL PEREIRA SERÁ ENTREGUE AO INSTITUTO NOSSA SENHORA DA PIEDADE PELO SEU CENTENÁRIO



No ano em que completa 100 anos, o Instituto Nossa Senhora da Piedade recebe no próximo dia 16 de setembro a Comenda Abel Pereira. Trata-se da maior honraria desta academia a ser entregue à personalidades, instituições e organizações da sociedade civil que prestaram relevantes serviços à educação e a cultura do nosso Município. 

O evento está marcado para às 18h30, na sede da Academia de Letras de Ilhéus.

Quem foi Abel Pereira? 


Abel Silva Pereira nasceu na cidade de Ilhéus, na Bahia, em 1908, filho de Felisberto da Silva Pereira e de Emilia Mundi Negrão Pereira. Sua vida literária pode ser acompanhada através das inúmeras instituições especializadas a que pertence, bem como por meio dos vários periódicos com os quais colaborou.

Fundador da Academia de Letras de Ilhéus, Bahia, foi também o seu primeiro Presidente. Ainda nesse Estado, pertence ao Instituto Histórico. Abel Pereira é membro de muitas outras instituições culturais, dentre elas a Associação Brasileira de Imprensa, a Sociedade dos Homens de Letras do Brasil, A Ordem dos Velhos Jornalistas do Brasil, a União Brasileira dos Escritores, a Academia Maçónica de Letras, a Academia Guanabarina de Letras, a Academia Brasileira de Literatura (Rio).  

Livros:  "Colheita" — em 1957 e — "Poesia até Ontem" —  em 1977 "Mármore Partido", seguindo a mesma linha haikaistica de "Colheita" e de "Poesia até Ontem.”


segunda-feira, 29 de agosto de 2016

CYRO DE MATOS IRÁ RECEBER O TÍTULO DE DOUTOR HONORIS CAUSA

O presidente Josevandro Nascimento convida confrades e confreiras para a cerimônia do título de Doutor Honoris Causa que será concedido ao confrade Cyro de Matos, no próximo dia 15 de setembro, quinta-feira, às 19h, no auditório Governador Paulo Souto, na Universidade Estadual de Santa Cruz.


Clique na imagem para ampliar

quinta-feira, 28 de julho de 2016

OFICINA DE LEITURA E PRODUÇÃO TEXTUAL NA ACADEMIA DE LETRAS

Foto: Divulgação

A primeira Oficina de Leitura e Produção Textual promovida pela Academia de Letras de Ilhéus tem como principal objetivo a criação de textos mistos que gerem reflexão social no leitor. Dividida em teoria e prática, a Oficina organiza e desenvolve a competência leitora ao realizar plenamente a interlocução entre a produção de textos e o contexto que se impõe diverso e transformador. A realização da oficina faz parte do convênio de manutenção básica das atividades artísticas e culturais com a Prefeitura Municipal de Ilhéus, através da Secretaria de Relações Institucionais.
“Vivemos num mundo cada vez mais “visual”. As imagens se apresentam como mensagens a todo instante e provocam os olhos atentos dos jovens. A fim de possibilitar interpretações cada vez mais precisas, essa oficina pretende apresentar para os alunos textos mistos, mesclando textos não-verbais e verbais, inferindo conceitos e promovendo o debate acerca de assuntos ligados à atualidade”, assinala a facilitadora e gestora cultural Anarleide Menezes.
O presidente Josevandro Nascimento salientou que “nunca se criou uma programação que pudesse abrir as portas da Academia para a comunidade, para o estímulo à leitura, para o fortalecimento da escrita e da poesia. Esta proposta tenta minimizar o hiato que se manteve presente ao longo dos anos na Academia, criando uma programação de doze meses que pudesse, não só dinamizar o espaço, mas, aproximá-lo da comunidade ilheense”.

SERVIÇO:
O quê? Oficina de Leitura e Produção Textual
Quando? Dia 28/07/2016
Onde? Academia de Letras de Ilhéus

Inscrições e vagas no local.

segunda-feira, 25 de julho de 2016

NO DIA DO ESCRITOR A ACADEMIA DE LETRAS ABRE EDITAL PARA MAIS DUAS VAGAS


ACADEMIA DE LETRAS DE ILHÉUS
PATRIAE LITTERAS COLENDO SERVIAM
FUNDADA EM 14 DE MARÇO DE 1959
ILHÉUS – BAHIA


EDITAL DE INSCRIÇÃO


Hélio Pólvora, ex-ocupante da cadeira nº 24
Dom Caetano, ex-ocupante da cadeira nº 29


O Presidente da Academia de Letras de Ilhéus, no uso de suas atribuições regimentais e estatutárias, de acordo com os arts. 47 e 48 e ss/parágrafos do Regimento Interno, faz saber a quantos este Edital virem ou dele conhecimento tiverem, que, com vacância das cadeiras nº 24, antes ocupada pelo escritor e jornalista Hélio Pólvora, cujo fundador foi Otávio Moura e patrono João Florêncio Gomes e cadeira nº 29, antes ocupada pelo Sr. Antônio Lima dos Santos – Dom Caetano - cujo fundador foi o próprio e patrono Manoel Quirino, ficam abertas as inscrições para preenchimento dessas vagas, pelo prazo de 30 (trinta) dias, a contar da data de publicação deste, devendo os interessados procurar a Secretaria da Academia de Letras de Ilhéus, turno vespertino, na Rua Antônio Lavigne de Lemos, 39, Centro, nesta cidade, para maiores esclarecimentos e informações a respeito ou pelo telefone 73.3231.1612.


Ilhéus, Bahia, 25 de julho de 2015.



Josevandro Nascimento
Presidente



Pawlo Cidade
Secretário Geral


sábado, 9 de julho de 2016

GERALDO LAVIGNE DE LEMOS LANÇARÁ NOVO LIVRO

O confrade Geraldo Lavigne de Lemos lançará o livro Massapê: Solo de poesia no dia 12 de julho de 2016, às 18h30, na sede da Academia de Letras de Ilhéus. A edição é pelo selo Mondrongo e conta com 36 poemas inéditos. O prefácio foi gentilmente escrito por Aleilton Fonseca.


Trata-se do quarto livro do autor, sendo todos de poesia. A presente obra é marcada pelo território de origem do confrade, que é natural de Itabuna e radicado em Ilhéus. Porém, o conteúdo supera as fronteiras da região. Dois dos poemas da obra estão a seguir:



Os demais livros do autor são: À Espera do Verão (2011), amenidades (2014) e alguma sinceridade (2014). Todos são comercializados no site da editora Mondrongo e na Livraria Papirus, em Ilhéus.

Ademais, o autor mantém o instagram @geralavigne e um perfil no Facebook (com o nome completo) onde divulga rotineiramente a obra.